Blasés

sexta-feira, 24 de setembro de 2010
Isso está acima da lei
E é Tão irritante que já não sei mais
Se é só pesadelo ou grande medo de reviver um infeliz clichê
Pare! Não, volte!

Assombrar(nos sonhos),
Confundir Futuro e passado
Me desmembrar
Vem ser meu passado, nunca meu presente, talvez meu futuro...

Eterno conflito entre o consciente e o sub...
Me vejo indeciso quanto ao que fazer com a razão
Eu já quis, não quero mais, mas talvez volte a quer

Assombrar(nos sonhos),
Confundir Futuro e passado
Me desmembrar...
Vem ser meu passado, talvez meu futuro
Acordar
E caminhar num sonho
Talvez do passado, não sei do presente, quiçá do futuro...

2 comentários:

by: Quesia disse...

"...me vejo indeciso quanto ao que fazer com a razão..."

Eu estou meio nessa fase conflitante, por isso muito do que eu li aqui faz bastante sentido!

Então me lembrei de como um poema/poesia pode fazer sentido nos outros ou até mesmo trazer novos significados...
Muitas vezes parte de um sentimento experimentado pelo autor, outras vezes não passa de presunção.

Seja como for.. como diria Fernando Pessoa:
[...] Sentir? sinta quem lê!
(amo Fernando Pessoa rsrs)

Mesmo porque a verdadeira poesia não está nas palavras e sim no sentimento que elas empregam.
(e sentimento é o que não falta em suas composições)

Digous Senna disse...

A razão nada é mais que um forte motivo para que com as palavras expressemos o que sentimos,
Se fossemos mudos?, e se nao tivessemos palavas?
Se o mundo fosse so silêncio, o que seria da expressão de sentimentos?

A indecisão é como uma bifurcacão e estar diantea ela sempre nos gera uma duvida... "Pra que lado ir?"
Mas na poesia nada disso importa o que ela tras em si, já diz por si só tudo o que sentimos
Os caminhos em que se desembocam esses pés compostos de palavras sabem exatamente para onde vão.

Creative Commons License
André Dias Textos by Pensamentos Avulsos is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.